Publicado em 11/08/2017

Curso Técnico em Agronegócio do Senar/MS é destaque na gestão administrativa da agropecuária

No dia 12 de agosto, 129 novos estudantes iniciam as aulas, em cinco municípios do Estado

Formado em Direito, o produtor rural Bruno Cezar Zarron, 31 anos, identificou no curso Técnico em Agronegócio, uma oportunidade de aprimorar os conhecimentos sobre o setor e auxiliar a família a administrar a propriedade com 300 hectares, localizada no município de Coxim. “Confesso que aprendi muito com essa formação. Hoje me considero um empreendedor rural, pois, desenvolvemos duas atividades: produção de bezerros para engorda e cultivamos uma área com 15 hectares de banana com resultados muito positivos”, explica.

Zarron faz parte da segunda turma do primeiro curso Técnico em Agronegócio, do Senar/MS – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural que concluiu a qualificação em julho deste ano. No total, 49 novos profissionais receberão habilitação técnica para atuar na gestão de propriedades e empresas rurais, além de receberem conhecimentos na área de assistência técnica e marketing rural.

Neste sábado (12), será realizada a aula inaugural para 129 estudantes aprovados no processo seletivo implantado em Mato Grosso do Sul. Reconhecido pelo MEC – Ministério da Educação, o curso oferece aos concluintes o registro profissional no Conselho Regional de Engenharia (Crea/MS) e  funciona em cinco polos presenciais localizados nos sindicatos rurais dos seguintes municípios: Aparecida do Taboado, Campo Grande, Coxim, Dourados e Maracaju.

Turma de Coxim (MS)

O curso possui formato semipresencial, por ser distribuído da seguinte forma: 80% das aulas são realizadas no ambiente virtual (online) e 20% durante encontros presenciais (nos polos), totalizando uma carga horária com 1230 horas/aula de duração.

Aprovação  e reconhecimento –  Segundo o gestor da Unidade de Inovação e Conhecimento do Sistema Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS, Roberto Murillo, a cada edição, aumenta o número de pessoas interessadas em aderir ao curso que registra altos índices de concorrência. “O processo seletivo finalizado em junho registrou uma média de 9 alunos concorrendo a uma vaga em Campo Grande, por exemplo. Isso demonstra que as pessoas buscam cada vez mais oportunidades no setor agropecuário e a vantagem de nossa qualificação é ser gratuita”, observa.

Em Campo Grande, o acadêmico do 6º semestre de Agronomia, Willyan Francescon, 20 anos, conta que decidiu investir no curso, para ter um entendimento mais abrangente de todas as etapas do setor. “Foi muito importante para minha formação universitária, pois, me mostrou como funciona a dinâmica de cada segmento e principalmente, compreender o processo de gestão. O resultado não poderia ser melhor e indico a todos meus amigos que têm interesse em atuar na área”, argumenta o jovem que em função do curso, acumula dois empregos na área de gestão empresarial(Escritório de Logística e Pizzaria).

Opinião semelhante tem o jovem empresário de Coxim, que se auto avalia enquanto empresário rural, depois de concluir o curso. “Aprendi a produzir um planejamento completo, desde a análise de solo até os custos produtivos e isso me auxiliou na expansão da atividade. A primeira colheita de banana teve uma média de até 120 caixas por quinzena e meu planejamento é aumentar a área plantada e iniciar uma lavoura de melancia”, conclui Zarron.

O presidente do Sistema Famasul, Mauricio Saito, avalia a importância do conhecimento para o desenvolvimento econômico de todo país. “A Federação acredita no compartilhamento do informações. Para comprovar a importância do setor quero lembrar que durante o ano de 2016, o mercado agropecuário foi responsável por 91% dos empregos criados”, finaliza.

 

Fonte: Assessoria Sistema Famasul – Aline Oliveira