Publicado em 05/04/2018

Dia A: Setor produtivo comemora anúncio da OIE e meta de status de livre aftosa sem vacinação para 2023

Aproximadamente 200 pessoas participaram da cerimônia em comemoração ao Dia A, na sede do Sistema Famasul

O Sistema Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS foi sede de um momento histórico para a pecuária de corte de Mato Grosso do Sul, a realização do Dia A: Plena Erradicação da Febre Aftosa no Brasil. O evento, realizado nessa quinta-feira (5), contou com a participação de aproximadamente 200 pessoas, entre lideranças políticas e rurais, produtores, profissionais e estudantes do setor.

“É uma grande alegria para nós, do setor produtivo, comemorar esse status de país livre da Febre Aftosa com vacinação. É um passo que temos que ultrapassar para que possamos sim, a partir do momento que fomos considerados um país livre de Febre Aftosa sem vacinação, atingir mercados que, economicamente, possam ser um diferencial”, destacou o presidente do Sistema Famasul, Mauricio Saito.

Saito afirmou que, para o Brasil, o Dia A representa um divisor de águas. “Mato Grosso do Sul é o segundo maior produtor de carne bovina do País. Além disso, o Brasil possui o maior rebanho comercial do Mundo. A erradicação da Aftosa comprova a eficiência sanitária da nossa pecuária”.

O palestrante apresentou a linha do tempo da Febre Aftosa no Brasil

O palestrante, chefe do Serviço de Saúde Animal da SFA/MS, Elvio Cazola, apresentou a linha do tempo da Febre Aftosa no Brasil e, especificamente, em Mato Grosso do Sul. Segundo o especialista, são 123 anos que o País sofre com a enfermidade.

Cazola, que é médico veterinário, destacou que o Brasil demorou muito para alcançar essa condição sanitária. “O patamar que ocupamos hoje deve ser comemorado, porque necessariamente passou pela efetiva participação de toda a classe envolvida, não só do setor público, mas também da classe produtora”.

Sobre o plano de erradicação, destacou que consiste em chegar ao status de livre de aftosa sem vacinação para o Brasil, até 2023. “Essa transição tem que ser de forma sustentável e segura”, explicou o palestrante. “Já são 12 anos sem nenhuma ocorrência”.

O superintendência Federal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento do MS (SFA/MS), Celso Martins, reforçou a importância do status nacional. “Esta é uma data que temos que louvar as vitórias que vieram. Estamos conquistando respeitabilidade e confiança.  Isso significa respeito econômico”.

O senador Pedro Chaves também felicitou os produtores rurais de Mato Grosso do Sul pelo status e perfil empreendedor e sustentável do setor. “O Brasil é quem ganha e fico feliz em comemorar a erradicação”.

Segundo o secretário da Semagro, a tendência é manter a qualidade dos últimos anos em relação à vacinação

Segundo o secretário da Semagro – Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, Mato Grosso do Sul possui quase 99% do rebanho vacinado e tem como objetivo manter esse nível de cobertura em todo o estado. “Precisamos nos preparar para um novo desafio: estruturar a questão do Iagro, principalmente na Fronteira. […]  A tendência é manter a qualidade que temos nos últimos anos em relação à vacinação”.

Como um ato simbólico, a solenidade encerrou com um churrasco com carnes nobres oferecidas pela Associação Novilho Precoce. “Aproveito para convidá-los a degustar desse produto de qualidade que é daqui do estado”, convidou Saito.

Participaram do evento o diretor tesoureiro do Sistema Famasul, Luis Alberto Moraes Novaes; a diretora-secretária da Federação, Terezinha Cândido; o presidente da Aprosoja/MS, Juliano Schmaedecke; o superintendente do Senar/MS – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de MS, Lucas Galvan; o assessor institucional da OCB, Sad de Pauli; o diretor-presidente da Iagro, Luciano Chiochetta; o presidente da MNP, Rafael Nunes Gratão; o presidente da Cooperativa do Sicredi Campo Grande, Antônio Kurose; o gerente de negócios do Banco do Brasil, Flávio Zocchi; o presidente da Abrasel/MS, Juliano Wertheimer, o presidente do CRMV/MS, João Vieira Neto; chefe-geral interino da Embrapa Gado de Corte, Ronney Robson Mamede.

Representatividade Rural: Prestigiaram ainda os presidentes dos sindicatos rurais de: Água Clara, Moacir Reis; Aquidauana, Frederico Stella; Anastácio, Moezis dos Santos; Amambai, Ronan Silva; Aral Moreira, Edson Bastos; Bandeirantes, João Lyrio; Bela Vista, Leandro Acioly; Batayporã, Altamir Fonseca; Bataguassu, Manoel Agripino; Caarapó, Antônio Maran; Camapuã, Saturnino Pereira; Campo Grande, Ruy Fachini; Caracol, Jose Calderan; Corumbá, Luciano Aguilar; Dois Irmãos do Buriti, Hermínio Pitão; Dourados, Lúcio Damália; Fátima do Sul, Ricardo Casotti; Iguatemi, Marcio Margato; Itaporã, Otávio Mello; Jateí, José Pereira;  Laguna Carapã,  João Firmino Neto; Maracaju, Christiano Souza Binz; Nioaque,  Cláudio Antônio Straliotto; Nova Alvorada do Sul, Telma Menezes de Araújo;  Nova Andradina, Hemerson Israel Dos Santos; Paranaíba, Nilo Alves Ferraz; Ponta Porã, André Cardinal Quintino; Rio Negro, Henrique Mitsuo Vargas Ezoe; Rio Verde de Mato Grosso, Launil José Marquesan; Terenos, João Borges Dos Santos; Três Lagoas,  Ivan Roberto Carrato Júnior; e Vicentina, Valter Dalla Valle.

Estiveram presentes na cerimônia o tesoureiro do Sindicato Rural de Alcinópolis, Ronaldo Pereira de Andrade; delegada efetiva do Sindicato Rural de Angélica, Maria Inês Garcia Bunning; o vice-presidente do Sindicato Rural de Bonito, Marcelo Bertoni; o vice-presidente do Sindicato Rural de Brasilândia, Ladislau Ferreira Neto; o delegado do Sindicato Rural de Chapadão do Sul, Roberto Gonçalves de Andrade Filho; o delegado do Sindicato Rural de Eldorado, Pedro Junqueira; o delegado do Sindicato Rural de Naviraí, Armando Nocera; o vice-presidente do Sindicato Rural de Nova Alvorada do Sul, Cesar Lyrio; o delegado do Sindicato Rural de Pedro Gomes, Airton Rui Cicerelli Fernandes e o tesoureiro do Sindicato Rural de Ponta Porã, Jean Pierre.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação Sistema Famasul – Ana Brito

image_pdfimage_print