Publicado em 01/12/2017

Famasul vê com otimismo proposta de construção de modal ferroviário que liga MS a Paranaguá

 O presidente do Sistema Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS, Mauricio Saito, participou, do lançamento do edital de chamamento para empresas do setor de logística manifestarem interesse na elaboração de estudos de viabilidade econômica da ferrovia que deverá unir Mato Grosso do Sul ao Porto de Paranaguá, no Paraná.

O edital foi lançado pelo Governo do Paraná, em realizado nessa terça-feira (28), em São Paulo, com a presença do Governo de Mato Grosso do Sul.

Na avaliação do presidente da Famasul, a ferrovia trará benefícios diretos ao setor. “Mato Grosso do Sul tem uma forte vocação agropecuária, a exemplo da região Centro-Sul, que é responsável por mais de 78% da produção de grãos do estado. A ferrovia proporcionará maior competitividade ao agro, principalmente, com a diversificação do modal de transporte”.

Para o governador de MS, Reinaldo Azambuja, a publicação do Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) é um passo importante para a consolidação do projeto que trará inúmeros benefícios à produção do Estado, atualmente escoada somente por modal rodoviário.

“Nosso grande gargalo é a logística. Não tenho dúvidas de que a construção desse modal ferroviário é o caminho para aumentar a competitividade da produção, ampliar a oferta, os dividendos aos produtores e agregar valor aos nossos produtos”, afirmou.

Modernização

 Com extensão de mil quilômetros, a nova ferrovia irá interligar o município de Dourados ao litoral do Paraná. Desses, somente 250 quilômetros já existem no trecho entre Cascavel e Guarapuava.

“A previsão é termos a redução do custo de transporte em cerca de trinta por cento, ligando essas duas importantes regiões produtoras do País”, destacou o governador do Paraná, Beto Richa, sobre a malha ferroviária, apontada como a mais econômica.

Também participaram do evento em São Paulo, o secretário de Infraestrutura de MS, Marcelo Miglioli; o diretor da Ferroeste, João Vicente Bresolin; a prefeita de Dourados, Délia Razuk e Sérgio Longen, presidente da Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul (Fiems).

Fonte: Com informações do Governo de MS

image_pdfimage_print