Skip directly to content

Famasul demanda ao candidato a Governo ações que dinamizem o setor florestal

15/09/2018 - 11:00

Na última edição do ‘Encontros com a Produção’  realizada por representantes da indústria, agropecuária e comércio de Mato Grosso do Sul, o presidente do Sistema Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS, Mauricio Saito, destacou ao candidato a Governo do Estado, Júnior Mochi, a necessidade da diversificação das atividades que têm a madeira como matéria-prima. A reunião aconteceu na noite dessa sexta-feira (14), na sede da Fiems.

Mochi foi recebido por Mauricio Saito, pelo presidente da Fiems, Sérgio Logen; da Fecomércio, Edison Araújo; da Faems, Alfredo Zamlutti; e pelo superintendente do Sebrae/MS, Claudio Mendonça.

“Saindo de uma situação de área de pastagem em algum nível de degradação, temos nosso setor florestal que, hoje, com mais de um milhão de hectares traz orgulho ao Estado, promove o desenvolvimento e contribui para o fortalecimento da diversificação da matriz produtiva do estado. Em contraponto, temos 300 mil hectares de florestas plantadas sem destino certo", pontua o presidente do Sistema Famasul.

Saito propôs ainda: “Atração de indústrias que façam uso de carvão vegetal e que possam, efetivamente, utilizar esta matéria-prima (...) Em conjunto, devemos incentivar também a instalação de indústrias moveleiras e siderúrgicas, as quais possibilitam geração de emprego, renda e, consequentemente, aquecimento do comércio local”.

Além das ações ligadas à silvicultura, as demandas da agropecuária envolveram monitoramento da fronteira e sanidade animal, programas de incentivos fiscais para suinocultura e avicultura, e medidas de garantia da segurança jurídica.

Sobre este último tema, Mochi se dispôs a contribuir: “Não existe estado democrático de direito, onde não há segurança jurídica. Precisamos urgentemente desse marco temporal para determinação das questões. Ao que couber ao Estado, cumpriremos a lei”, disse o candidato.

Direcionando a palavra aos senadores Waldemir Moka e Simone Tebet, Saito agradeceu o empenho de ambos nas atividades ligadas ao Funrural.

Além do presidente da Famasul e do presidente da Fiems, Sérgio Logen; receberam o candidato Júnior Mochi, o presidente da Fecomércio, Edison Araújo; da Faems, Alfredo Zamlutti; o superintendente do Sebrae/MS, Claudio Mendonça; a diretora-técnica do Sistema Famasul, Mariana Urt, o diretor-tesoureiro Marcelo Bertoni, e o diretor administrativo-financeiro do Senar/MS, Clodoaldo Martins.

Junior Mochi foi o terceiro candidato a governador a reunir-se com representantes da Fiems, Famasul, Fecomércio, Faems e Sebrae/MS para ouvir as reivindicações do setor produtivo e apresentar as propostas para a indústria, comércio, agropecuária e micro e pequenas empresas do estado. O primeiro foi o candidato à reeleição, Reinaldo Azambuja e o segundo candidato foi Odilon Oliveira . Nessas reuniões, as entidades entregam o caderno de medidas de curto e longo prazo, que foram pensadas em conjunto para o desenvolvimento da economia estadual, para serem implantadas pelo próximo governante.

 

Fonte: Assessoria de Imprensa – Diego Silva