Publicado em 05/02/2018

Preço do milho sobe 3,5% em um mês,  já cotação da soja permanece estável em MS

A informação do mercado agrícola foi levantada pela Unidade Técnica do Sistema Famasul

O preço médio do milho em Mato Grosso do Sul atingiu R$ 22,63 a saca em janeiro deste ano. As informações são do Boletim Casa Rural, elaborado pela Unidade Técnica do Sistema Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS.

Em relação a dezembro do ano anterior, a valorização é de 3,45%. Para o analista técnico do Sistema Famasul, Luiz Gama, o motivo da ascensão do valor do milho é o mercado internacional. “Todos os contratos negociados na Bolsa de Chicago subiram mais de 2% em janeiro deste ano”, ressalta o economista.

Apesar do cenário parecer favorável em comparação a dezembro, o economista da Famasul destaca que, ao longo deste mês, o valor do milho oscilou negativamente. “Neste sentido, o dólar foi a principal variável de pressão no mercado interno, soma-se a isso, a alta disponibilidade interna que ainda há do grão, pressionando ainda mais os preços”, acrescenta.

Soja – No caso desta oleaginosa, houve queda de 1,42% na cotação da saca entre dezembro de 2017 e janeiro de 2018. “O cenário é de relativa estabilidade. Isso porque existem dois movimentos de forças opostas, por um lado, a alta das cotações internacionais impulsionam os preços para cima, enquanto que o dólar mais baixo pressionam as cotações para a queda”.

O analista destaca que fevereiro não deve registrar valorização dos grãos. “O mês é período de colheita, tanto da soja quanto do milho verão, logo haverá aumento da disponibilidade interna de ambos os grãos”.

Gama destaca, ainda, que dentre os fatores que podem trazer alguns impulsos a cotações é clima, principalmente na Argentina. “Por lá o clima tem se mostrado seco, o que pode dificultar o desenvolvimento das lavouras, com repercussão sobre a produtividade. O mercado internacional está muito focado nas condições climáticas deste País”.

Clique aqui e leia o Boletim, na íntegra.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sistema Famasul / Ana Brito

 

image_pdfimage_print