Publicado em 06/07/2018

Tributação e novos hábitos de consumo são abordados durante encontro do Sistema Famasul e da Câmara Setorial de Horticultura

Comerciantes, técnicos e produtores rurais sul-mato-grossenses participaram de um encontro que debateu a tributação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços – ICMS na horticultura do estado. O evento, realizado nessa quinta-feira (05), foi organizado pela Federação da Agricultura e Pecuária de MS – Sistema Famasul e pela Câmara Setorial e Consultiva da Horticultura, e teve como objetivo esclarecer dúvidas dos envolvidos nessa cadeia.

Para o gestor da Assistência Técnica e Gerencial do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – Senar/MS, Francisco Paredes, o tema, discutido nacionalmente, chega a um momento importante para o cenário local. “A produção de hortaliças está em plena expansão aqui no estado e, por isso, é preciso orientar, principalmente, em relação aos tributos. A partir do que já está sendo feito no Brasil, podemos nortear os trabalhos locais”, explicou.

O tema foi apresentado pelo empresário e presidente da Comissão Nacional de Hortaliças e Flores da Confederação Nacional de Agricultura – CNA Stefan Adriann Coppelmans, que trouxe novas reflexões. “A discussão está na forma em que os produtos chegam ao consumidor sem perder a qualidade. Estamos falando de alimentos mais saudáveis e do hábito dos brasileiros que ainda consomem menos do que deveriam. Por isso, buscamos incentivar a produção desses itens”, comenta.

Em Mato Grosso do Sul, o trabalho da Assistência Técnica e Gerencial do Senar/MS, com o programa Hortifrúti Legal, oferece consultoria para mais de 300 produtores rurais e, no último ano, foram comercializados mais de R$ 4,6 milhões em produtos cultivados pelos assistidos.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sistema Famasul – Ellen Albuquerque