Skip directly to content

Fórum Brasileiro de Agricultura Sustentável: Mauricio Saito destaca o desafio do setor produtivo em produzir alimentos para os próximos anos e a importância da informação para o desenvolvimento

06/08/2019 - 10:15

“Elevemos nossas discussões para que efetivamente possamos ter uma agricultura sustentável, que garanta até 2050, 60% a mais de alimentos para o mundo. Esse é o desafio para o setor produtivo que tem papel fundamental nessa dinâmica”, a afirmação foi feita pelo presidente do Sistema Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS, Mauricio Saito, durante a abertura do 3º Fórum de Agricultura Sustentável. A cerimônia aconteceu nessa segunda-feira (05), no Centro de Convenções, em Campo Grande.

“Somente quatro décadas separam um estado importador de alimentos, de um estado grande produtor e exportador de alimentos. Crescimento baseado em tecnologias de produção sustentável calcada em três pilares: econômico, social e ambiental. E quando falamos em agricultura, não podemos considerar a forma equivocada como a mídia tem veiculado o tema defensivos agrícolas e precisamos considerar sim, que todo trabalho desenvolvido é amparado pela comunidade científica e a eficiência dos produtores rurais”, complementa Saito. 

Representando o governador Reinaldo Azambuja, o secretário da Semagro, Jaime Verruck, ressaltou do poder público no desenvolvimento com sustentabilidade. “O estado já caminha na agricultura de forma bem positiva e pode ser referência para o país nesse sentido. Temos praticamente 100% das áreas cadastradas no CAR, temos o Novilho Precoce que tem um nível de exigência muito alto e já caminhamos para a produção de carne carbono neutro”, explica. 

O presidente da Aprosoja/MS, Juliano Schmaedecke, representou o presidente da Aprosoja Brasil. “Buscar novas soluções para a agricultura do futuro é a proposta deste evento que traz inovações para melhorar a produtividade. Hoje é primordial que tenhamos segurança na produção, já que a atividade permite cada vez menos erros”. 

Para o chefe-geral da Embrapa Arroz e Feijão, Alcido Eleonor, o encontro é oportuno para troca de informações. “Estudantes, pesquisadores e produtores vivenciam um intercâmbio de experiências agrícolas. Precisamos praticar uma agricultura cada vez melhor e o solo é o eixo do sistema produtivo”, comenta. 

De acordo com o presidente do GAAS – Grupo de Associados de Agricultura Sustentável, Rogério Vian, já existia a vontade de realizar o evento em Mato Grosso do Sul. “Sempre vimos a possibilidade para o estado receber o evento. Para que haja a transformação, precisamos do apoio das entidades para crescer e cada vez que captamos experiências, praticamos melhorias. Esse é o objetivo do evento, propor alternativas para produtividade e rentabilidade”.
 
Também participaram do evento o presidente do GAAS no estado, Rogério Zart; o reitor da UFMS, Marcelo Turine; a chefe adjunta de pesquisa e desenvolvimento da Embrapa, Luciana Chiari; o presidente da Aprosoja de Goiás, Adriano Barzotto; diretora-técnica do Sistema Famasul, Mariana Urt.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sistema Famasul - Ellen Albuquerque