Skip directly to content

Horticultores atendidos pelo Senar MS obtêm lucratividade superior a 50%

27/04/2020 - 10:30

Um levantamento realizado pela equipe de ATeG (Assistência Técnica e Gerencial) do Senar Mato Grosso do Sul, constatou que propriedades atendidas pelo programa de horticultura podem alcançar lucratividade acima de 50% em relação às propriedades tradicionais. Este é tema da editoria Mercado Agropecuário desta segunda (27).
 
O comparativo teve como base os registros do projeto Campo Futuro, desenvolvido pela instituição, que analisa, entre outros itens, a rentabilidade das atividades do setor rural por região.
 
Levando em consideração o ciclo da cultura da alface, por exemplo, enquanto uma propriedade comum registra lucro de R$ 21,4 mil por hectare, a propriedade modelo obteve R$ 39,9 mil. O mesmo acontece também com a cultura da mandioca, com lucro passando de R$ 19,4 mil para R$ 22,6 mil com o Campo Futuro.
 
Para a lucratividade, que corresponde ao valor do lucro líquido e da receita total gerada, a margem para a folhosa passou de 27% para 36%. No tubérculo a diferença é ainda mais relevante, de 36% para 51%.
 
De acordo com o coordenador do programa de ATeG Horticultura, Dorly Pavei, os produtores atendidos pelo Senar alcançam patamares mais elevados. “Temos vários exemplos de horticultores tradicionais que, a partir do momento que abriram as portas para o Senar, passaram a ter maior controle da sua atividade, com planejamento, gestão e organização. Esse conjunto de ferramentas garantem resultados ainda melhores”, explica.
 
O Senar atende no estado mais de 800 horticultores gratuitamente que, como medida de prevenção da pandemia da Covid-19, seguem recebendo consultoria agora no formato virtual, via aplicativo de mensagem, email e telefone.

Fonte: Comunicação do Sistema Famasul - Ellen Albuquerque