Skip directly to content

Lançamento da Colheita do Milho: Com produção prevista em 9,6 milhões de toneladas, Saito destaca desafios do setor produtivo em MS

06/06/2019 - 12:15

“A projeção de uma supersafra para o milho no estado traz novos desafios para o setor agrícola”, a afirmação foi feita pelo presidente do Sistema Famasul - Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul, Mauricio Saito, durante o lançamento da colheita do cereal, 2ª safra, da temporada 2018/2019 e do vazio sanitário, realizado pela Aprosoja/MS - Associação dos Produtores de Soja e Milho de MS, nessa quinta-feira (06), na sede da Casa Rural, em Campo Grande.

A estimativa é de uma produção de 9,6 milhões de toneladas, com alta de 6% em relação à projeção inicial. A produtividade deve chegar a 85 sacas por hectare e a área está prevista em 1,918 milhão de hectares.

Saito ressaltou o empenho de instituições frente à expectativa anunciada. “Junto aos números pujantes de produção e produtividade, outros compromissos e metas surgem para serem alcançados. É neste ponto que destaco a ação de pessoas como o nosso vice-presidente, Luís Alberto Moraes Novaes, que preside a Comissão de Cereais, Fibras e Oleaginosas da Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil. “Compartilho com os demais segmentos da sociedade, a importância desse grupo de trabalho que está totalmente embasado na ciência”, afirmou o presidente da Famasul referindo-se à Instrução Normativa n° 59 do MAPA, que trata sobre a prática de plantio de áreas de refúgio nas lavouras, à adoção do vazio sanitário e da calendarização da semeadura de soja, práticas importantes no combate à proliferação do fungo que ataca as lavouras da oleaginosa, dando mais eficiência no uso dos defensivos.

O presidente da Aprosoja/MS, Juliano Schmaedecke, contextualizou o cenário de grãos no estado. “Viemos de uma safra de soja precoce devido ao clima, conseguimos colocar o milho no melhor momento e onde apresentaremos elevação na produção deste cereal, que tem relevância sem igual, já que move a cadeia de suínos, aves, bovinos, por intermédio do confinamento, gerando uma carne de qualidade, referência nacional e internacional, além de trazer emprego e renda aos sul-mato-grossenses”.

A transformação social que o agro possibilita foi lembrada pelo Governador do Estado, Reinaldo Azambuja. “Bons resultados na agricultura ampliam oportunidades de produzir mais, agregar valor ao nosso produto, gerar chances de empregos e isso é fundamental! É gratificante ver o trabalho da Famasul, dos sindicatos rurais, da Aprosoja e dessa parceria que leva o estado a ser um dos que mais cresce no segmento, além de desenvolver também a agroindústria”.

Durante o evento, foi lançada a campanha do vazio sanitário vegetal em Mato Grosso do Sul. No intervalo de 90 dias que compreende 15 de junho a 15 de setembro, fica proibido o cultivo de soja. O plantio da oleaginosa acontece entre os dias 16 de setembro a 31 de dezembro.

O diretor-presidente da Iagro – Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal, Luciano Chiochetta, falou sobre o compartilhamento de informações entre as instituições. “O sistema de defesa agropecuária não atua sozinho, ele é composto pelo serviço público mas também pelo âmbito privado, e a gente precisa mesmo dessa atuação em conjunto. Espero que tenhamos bons resultados com essa soma de esforços para auxílio não só o produtor, mas também da atividade de fiscalização e controles que precisamos manter no estado”.

A Aprosoja/MS e a Iagro assinaram um termo de cooperação técnica visando maior integração entre produtores de soja e milho do estado e a agência estadual. O documento estipula a troca de informações via satélite e relatórios sobre a movimentação de defensivos agrícolas, além de garantir realização conjunta de cursos e treinamentos para fiscais, servidores, produtores e equipes técnica. 

Representatividade Rural: Durante o evento, o Governador do Estado, Reinaldo Azambuja, anunciou como novo diretor-presidente da Iagro o engenheiro agrônomo, Daniel Ingold, em substituição ao atual dirigente,  Luciano Chiochetta.

O presidente da federação, Maurício Saito, agradeceu ao governo por ter aceito a indicação do setor produtivo. “É uma questão de restruturação, mas é importante ressaltar que o Chiochetta durante todo esse tempo fez um excelente trabalho à frente da Iagro”.

Além das autoridades citadas, participaram do evento, o diretor-tesoureiro do Sistema Famasul, Marcelo Bertoni; a 3ª diretora-secretária do Sistema Famasul, Tereza Zahran; o superintendente do Senar/MS, Lucas Galvan; a diretora técnica do Senar/MS, Mariana Urt; o secretário de Gestão Estratégica,  Eduardo Riedel; o secretário da Semagro, Jaime Verruck; o superintendente da Semagro,  Rogério Beretta; o chefe-geral interino da Embrapa Gado de Corte, Ronney Mamede; o superintendente Federal de Agricultura em MS, Celso de Souza Martins; o presidente da Fundação Chapadão,  Ilton Henrichsen; o presidente da OCB/MS, Celso Régis e o superintendente da Conab – Companhia Nacional de Abastecimento, Nilson Azevedo Marques, entre outros representantes. 

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sistema Famasul - Ana Brito e Ellen Albuquerque