Skip directly to content

Senar/MS: Vitrines nas cadeias de leite e horticultura apresentam tecnologias em Rio Brilhante e Rio Negro

23/09/2019 - 15:30

O município de Rio Brilhante recebeu no sábado (21), a vitrine da cadeia produtiva em bovinocultura de leite do Senar/MS. A equipe da Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) da instituição apresentou alternativas para melhorar a produtividade e rentabilidade na produção leiteira. Mais de 50 produtores da região participaram do encontro.

“Tiramos dúvidas com profissionais da área e desde que recebi o Senar, só tenho evoluído. Em uma avaliação geral a instituição tem muita vontade de ajudar o produtor. Nessa propriedade, vi pasto verde em plena estiagem. Ver os animais com estado corpóreo muito bom e produzindo acima da média é uma injeção de ânimo para gente. Estou aprendendo e ganhando cada vez mais bagagem”, ressaltou Antônio Rodrigues, produtor que ordenha por dia, em média 70 litros diários.

De acordo com o supervisor de ATeG da bovinocultura de leite, Marcelo Reis Bevilacqua, o local da vitrine é um exemplo de evolução. “Na propriedade onde a vitrine aconteceu, passamos de um cenário de escassez de alimentos, devido ao tempo seco deste período, e de repente nos deparamos com um produtor que está com alimentação sobrando, isso quer dizer que o trabalho de assistência está no caminho certo. Fazer planejamento, seguir as orientações, são atitudes que validam a importância do Senar quando o assunto é suporte técnico”.

Participaram do evento o presidente do Sindicato Rural de Rio Bilhante, Luciano Cargnin Manfio, representantes da Agraer, entre outras lideranças rurais e políticas. 
Simultaneamente, em Rio Negro, a 300 quilômetros de Rio Brilhante, mais de 80 produtores participaram da vitrine de horticultura.  Para o produtor rural, Valdez Correa de Melo, o evento é para atualização. “Levamos de cada encontro muita coisa boa. A cada dia a tecnologia vai mudando e precisamos nos adequar. Fazer o manejo correto, economizar água, energia, além de aprendermos novas técnicas conseguimos reduzir o custo de produção”, comenta.

O vice-presidente do sindicato rural, Elton Marcelo, participou da abertura da atividade. “Um evento muito abrangente e com uma participação muito boa. Vimos produtores motivados. O município ainda é carente de produção nesta cadeia, já que vivemos basicamente da pecuária. Este evento veio para agregar. Há muito tempo não tínhamos um dia de campo como este”. 

De acordo com o supervisor de ATeG em Horticultura, Flávio Carlos Correia, a vitrine é uma oportunidade de levar tecnologias. “Apresentamos algumas ferramentas tecnológicas de aplicação, insumos, técnicas específicas para cada propriedade, além de falar dos resultados satisfatórios. Conversamos com os horticultores sobre a rastreabilidade, uma normativa que vai garantir a permanência nos produtores rurais no mercado”.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sistema Famasul - Ellen Albuquerque